>Projeto Cinema no Caldeirão – Mary e Max – Uma Amizade Diferente

>Olá Amigos

O filme de hoje no Projeto Cinema no Caldeirão é a animação Mary e Max – Uma Amizade Diferente. Resolvi falar sobre o filme depois de ler uma noticia do excelente portal Conexão Professor via twitter (@conexaoprof), sobre um aluno da rede estadual com Síndrome de Asperger que se destaca na Olimpíada de Jogos Digitais e Educação (OJE). Para quem não sabe a Síndrome de Asperger, doença similar ao autismo, entretanto mais branda – os jovens são mais inteligentes e sem atraso significativo no desenvolvimento da linguagem.

A animação “Mary e Max – Uma Amizade Diferente” mostra os problemas dessas pessoas. Na ficção, Mary, de 8 anos, que mora na Austrália, torna-se amiga de Max, um homem de 44 anos, que tem síndrome de Asperger e vive em Nova York. Ambos têm dificuldade em fazer amigos e passam a trocar correspondências nas quais compartilham alegrias e decepções.

Sinopse:
Uma história de amizade entre duas pessoas muito diferentes: Mary Dinkle, uma menina gordinha e solitária, de oito anos, que vive nos subúrbios de Melbourne, e Max Horovitz, um homem de 44 anos, obeso e judeu que vive com Síndrome de Asperger no caos de Nova York. Alcançando 20 anos e 2 continentes, a amizade de Mary e Max sobrevive muito além dos altos e baixos da vida. Mary e Max é viagem que explora a amizade, o autismo, o alcoolismo, de onde vêm os bebês, a obesidade, a cleptomania, a diferença sexual, a confiança, diferenças religiosas e muito mais. Baseado numa estória real.

O filme contrariando a onda 3D e feito todo filmado com a técnica stop motion, em que cada cena é fotografada quadro a quadro. Gostaria muito que esse filme fosse levado à sala de aula. E que na presença de Professores, e até de um Psicólogo, fosse então debatido. Há vários temas em “Mary e Max – Uma Amizade Diferente” que carece desses jovens serem confrontados. Além de muitos acharem engraçado tripudiar de um coleguinha “diferente”… há no filme o bem que faz uma amizade verdadeira.

Eu passei a ter conhecimento dessa Síndrome, vendo “Ben X – A Fase Final”. Onde podemos ver, o quanto sofrem, mas com a zombaria, e até agressões físicas dos colegas de classe. Para Max, além do bullying por conta disso, também por ter sido judeu.

Mas como muito bem cita a critica do Blog Cinema é Minha Praia! que foi maravilhosamente escrita pela Valéria Miguez (LELLA)que reproduzo alguns trechos aqui: “Mas como atualmente, os casos de pedofilia estão vindo mais a público, para uma galerinha Teen, é sempre bom o acompanhamento de um adulto, para que não entre em nenhuma roubada, caso resolva se corresponder com um desconhecido. Claro, que sem um patrulhamento ostensivo. Se há liberdade entre você e esse menor, é bem provável que lhe conte o que anda fazendo. Esse é um dos motivos para um adulto assistir junto esse filme.”

O filme começa na década de 70. Num tempo sem internet. Os personagens começando por Mary… Filha única. De um pai ausente, e de uma mãe alcoólatra e cleptomaníaca. Na escola, sofre com o bullying. Por ser gordinha; por usar óculos; e até por um sinal de nascença em sua testa. Tem por amigo, um galo. Seus brinquedos foram criados por si: como cópias dos personagens de seu desenho favorito. Sua pequena mesada, vem de um serviço que presta a um vizinho que perdeu as pernas na Guerra, e que sofre de agorafobia. Com medo de sair de dentro de casa, ela pega para ele as correspondências. Esse vizinho, terá um papel fundamental na vida de Mary. Um outro vizinho também, um menino grego. Que também é um excluído pelos colegas, por ser gago. Mary tem uma sede de aprender. E além de chocolate, adora leite condensado. Gostaria de ter uma amiguinha com quem pudesse conversar e brincar.do filme Síndrome de Asperger. Mas um problema ainda desconhecido na época. Dai, era tido como maluco.

Agora o Max: tem 44 anos de idade. Vive sozinho na companhia de um periquito, um gatinho que perdeu um dos olhos por maldade de crianças, alguns caracóis e um peixinho que devido ao pânico de Max… Bem, peixinho morto, peixinho posto. Além de uma vizinha que é cega, mas não está nem ai para isso. O problema, é que não admitindo ser cega, acaba não se adequando a sua realidade. Ocasionando certas situações… Max, padecia de Síndrome de Asperger. Mas um problema ainda desconhecido na época. Dai, era tido como maluco.

Mary e Max – Uma Amizade Diferente é um filme que deixa uma vontade de uma análise mais detalhada. Ele é daqueles filmes que machucam, mais ainda por ser baseado numa estória real. É lento. Indicado também para quem gosta de ouvir a estória de vida de uma pessoa. Embora triste, nos leva a amá-los.

Num tempo onde o 3D virou uma febre, talvez uma animação com personagens de massinhas, e meio toscas, não irá atrair o grande público. Pena! Pois estarão perdendo um excelente filme! Com um final emocionante! Assistam!

Elenco:
Vozes na versão original de Toni Collette, Philip Seymour Hoffman, Eric Bana, Barry Humphries.

Curiosidades:
Dos criadores do vencedor do Oscar de curta de animação ‘Harvie Krumpet’.

Trailer:

Resumo: Baixar Filme Mary e Max – Uma Amizade Diferente
Título original: Mary and Max
Download do Filme Mary e Max – Uma Amizade Diferente
Gênero: Animação
Direção: Adam Elliot
Duração: 90 min.
Distribuidora: PlayArte Pictures

Tamanho: 700 MB
Formato: Avi
Qualidade de Vídeo: Dvdrip
Idioma: Inglês

Download Filme

Download Legenda

Abraços

Equipe NTE Itaperuna

Um comentário sobre “>Projeto Cinema no Caldeirão – Mary e Max – Uma Amizade Diferente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s