Caldeirão de Ideias Convida: Sérgio Lima e o texto “Pantera Negra ou Conhecimento como Elemento de Empoderamento”

Olá amigxs

Fui assistir o filme Pantera Negra e sai do cinema bolado. Foi um trator que passou em cima de mim pelo menos umas três vezes. O filme como todo bom filme do Universo Marvel tem seu super herói, que faz uma pequena introdução da história do personagem em um filme anterior de algum outro herói Marvel e no filme dele essa história é contada de forma mais detalhada. Seguindo essa linha já característica da Marvel o Pantera Negra não acrescenta nada de novo. Ledo engano meus amigos. O filme é uma PORRADA. Desde o trailer dele já haviam pistas de que ele seria diferente, primeiro pela característica do personagem e do elenco, TODOS NEGROS, e segundo na forma como os elementos de emponderamento apresentados no filme são tratados. Não há negros serviçais ou em papeis secundários, pois todos são protagonistas (esse papel de secundário no filme cabe aos homens de bem brancos) no filme e as mulheres do filme são lindas, fortes e emponderadas. Nada de spoilers ou qualquer outra coisa parecida o filme me impactou (a muitos também) de forma muito interessante e me fez pensar.

panteranegra-0

Essa cena representa fielmente de como uma democracia deve funcionar dentro da lógica do “somos todos uma só aldeia”

E essa mesma sensação meus amigos da rede também tiveram. Mas meu chapa Sergio Lima, um homem de ciência, critico sarcástico e sempre com uma visão muito própria do outro lado da história. Ele é o contraponto do oba oba generalizado, que muitas das vezes aparece inconscientemente e ele detecta isso como ninguém. Batemos um papo sobre o filme e as nossas percepções sobre ele eram muito parecidas. Eu como homem de história fui buscar as referências sobre o filme, elementos históricos que estavam subjetivamente incluídos no filme. E ele como homem da ciência e da Física tinha alguns elementos muito interessantes. Mas uma coisa era comum: Como a ciência foi tratada como elemento de emponderamento humano e social no filme. Então eu fiz um convite a ele para que ele partilha-se sua visão do filme e ele como todo bom guerreiro que é, não fugiu a luta.

Abaixo um texto curto, forte e muito bem escrito dele sobre o filme. Leiam, reflitam e depois comentem. E você o que viu no filme (O QUE? VOCÊ AINDA NÃO VIU O FILME? TÁ DOIDO? CORRE PRA VER!) que eu e ele não vimos? Deixa ai nos comentários para nós irmos debatendo um pouco mais.

Um grande abraço é uma boa leitura a todos

Robson Freire


Pantera Negra ou Conhecimento como elemento de Empoderamento

Por Sérgio Lima*

Meu parça virtual, Robson Freire, me mandou uma mensagem no Instagram (Direct) pedindo para eu escrever sobre o filme Pantera Negra. Ele, assim como 112% da galera que viu o filme, ficou apaixonado…

Então, esse texto aqui para o Caldeirão de Ideias é minha resposta ao pedido abaixo:

20180227125118-b36211a8-me

Então é Isso aí: “Ciência como elemento de Empoderamento”. E, para além da mitologia da personagem Pantera Negra, um dos elementos que empoderam a sociedade de Wakanda é o (bom) uso social da Ciência!

Pra nossa felicidade, vou escrever pouco! Primeiro porque estou super-enferrujado. Segundo, porque ninguém mais tem paciência para textão 🙂 E, por último mas não menos importante, porque não sou nenhum fã ou razoável conhecedor dos heróis Marvel 😉

Só uma cara que foi ver o filme porque as filhotas (e 100% dos fãs do universo Marvel) conseguiram me botar pilha pra ver Pantera Negra na estreia 🙂

Mas vamos ao que interessa! Pantera Negra é sim essa cocada preta que todo mundo que viu está falando! As mulheres são todas inteligentes, phodas, empoderadas e lindas (E sim, eu escolhi propositalmente essa ordem dos adjetivos!).

O filme tem toda essa parada de representatividade, sem perder uma boa história, com ação, porrada luta (capoeira, jiu-jitsu e algumas violações das leis da física porque, afinal, é filme de herói Marvel!) e, a “tamarin noir” do bolo*…. o filme é, também, uma ode ao conhecimento científico! E, este é o ponto que vou (rapidamente) abordar :-).

Para sermos mais fidedignos podemos dizer que Pantera Negra, na verdade, pode ser lido como uma obra que faz apologia ao conhecimento como empoderamento das pessoas e da sociedade! Embora o conhecimento científico com suas maravilhas tecnológicas ganhem destaque… o conhecimento ancestral também tem sua relevância na trama!

Talvez nem todas as mentes anestesiadas pela superdosagem de cultura ocidental consigam captar o peso da ancestralidade na cosmogonia das culturas africanas. Mas essa característica está lá, latente em Pantera Negra!

Achei que, por uma lado, a trama “avança” em mostrar que ciência não é uma prerrogativa eurocêntrica nem patriarcal! Por outro lado, ainda escorrega em reforçar o clichê de que ciência é uma atividade de “superdotados” com inteligência acima da média.

Ok, ser cabeçudo ajuda em qualquer atividade humana… mas ciência é muito mais método, políticas de longo prazo e recursos… E, como muitas outras atividades, uma atividade humana! Portanto histórica, coletivamente construída, permeada de questões sociais, tecnológicas, políticas, culturais e éticas.

Sem querer correr o risco de fazer revelações para quem ainda não viu o filme (sério que tem gente que ainda não viu o filme?) você não precisa ser muito nerd/geek para perceber que Pantera Negra também circula por alguns velhos dilemas da humanidade: Manter o conhecimento fechado ou compartilhar o conhecimento? Só o conhecimento científico dá conta do mundo? CIẽncia Básica e Tecnologia aplicada são tão separadas assim? Colonizadores podem dizimar culturas regionais? (ouvi evangélicos dizimando expressões religiosas locais na Amazônia?)…

E, como o Robson Freire descobriu em suas leituras, o Benim (região onde supostamente Wakanda se encontra) já foi, sim, uma cidade com grandes aparatos tecnológicos num passado nem tão remoto assim…

benin1897.png

A cidade de Benim retratada por um oficial inglês em 1897

Pra fechar a prosa (eu avisei que não seria textão!)… Não importa se você nem curte muito ciência! Ou mesmo que, como eu, nem curta o universo Marvel.

20180227141610-89ef5dc2-me

Pantera Negra é um filme que, invariavelmente, como costuma dizer o Robson Freire, vai fazer um reboliço com a sua cachola!

**Na expressão “cereja do bolo” troquei a cereja, uma fruta asiática, por uma fruta africana! Ya! Viva a internet 🙂

*Sérgio Lima – É professor de Física no Colégio Pedro II – E um entusiasta da inteligência humana 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s