Livros – Por que te amo tanto?

Olá amigxs Hoje estou escrevendo sobre livros e o do porque eu os amo tanto. Amo no sentido literal da coisa mesmo: tenho paixão por eles, gosto de cheirá-los, tocá-los, sinto ciúme deles e o porque de como é difícil demais para mim desapegar de algum deles, mesmo que velhinho e desmontado. Essa resenha começou … Continue lendo Livros – Por que te amo tanto?

O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor não o oferece à distância para a recepção audiovisual ou "bancária" (sedentária, passiva), como criticava o educador Paulo Freire. Ele propõe o conhecimento aos estudantes, como o artista propõe sua obra potencial ao público. (...)O aluno não está mais reduzido a olhar, ouvir, copiar e prestar contas. Ele cria, modifica, constrói, aumenta e, … Continue lendo O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor não o oferece à distância para a recepção audiovisual ou "bancária" (sedentária, passiva), como criticava o educador Paulo Freire. Ele propõe o conhecimento aos estudantes, como o artista propõe sua obra potencial ao público. (...)O aluno não está mais reduzido a olhar, ouvir, copiar e prestar contas. Ele cria, modifica, constrói, aumenta e, … Continue lendo O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor não o oferece à distância para a recepção audiovisual ou "bancária" (sedentária, passiva), como criticava o educador Paulo Freire. Ele propõe o conhecimento aos estudantes, como o artista propõe sua obra potencial ao público. (...)O aluno não está mais reduzido a olhar, ouvir, copiar e prestar contas. Ele cria, modifica, constrói, aumenta e, … Continue lendo O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

O professor não o oferece à distância para a recepção audiovisual ou "bancária" (sedentária, passiva), como criticava o educador Paulo Freire. Ele propõe o conhecimento aos estudantes, como o artista propõe sua obra potencial ao público. (...)O aluno não está mais reduzido a olhar, ouvir, copiar e prestar contas. Ele cria, modifica, constrói, aumenta e, … Continue lendo O professor propõe o conhecimento. Não o transmite.

Repensando A Educação: A Escola Educa?

A educação no Brasil tem enfrentado grandes desafios. Desafios estes que nos remetem a um novo pensar, a uma nova forma de agir e principalmente de educar.Estamos impregnados de velhos modelos e conservadorismos que não condizem mais com o momento planetário atual. Há a necessidade de repensarmos a educação, de forma que possamos sair da … Continue lendo Repensando A Educação: A Escola Educa?

>Ensinar exige estética e ética

>Paulo Freire A necessária promoção da ingenuidade à criticidade não pode ou não deve ser feita à distância de uma rigorosa formação ética ao lado sempre da estética. Decência e boniteza de mãos dadas. Cada vez me convenço mais de que, desperta com relação à possibilidade de enveredar-se no descaminho do puritanismo, a prática educativa … Continue lendo >Ensinar exige estética e ética

Ensinar exige estética e ética

Paulo Freire A necessária promoção da ingenuidade à criticidade não pode ou não deve ser feita à distância de uma rigorosa formação ética ao lado sempre da estética. Decência e boniteza de mãos dadas. Cada vez me convenço mais de que, desperta com relação à possibilidade de enveredar-se no descaminho do puritanismo, a prática educativa … Continue lendo Ensinar exige estética e ética

Carta de Paulo Freire aos Professores – Paulo Freire

Ensinar, aprender: leitura do mundo, leitura da palavra. NENHUM TEMA mais adequado para constituir-se em objeto desta primeira carta a quem ousa ensinar do que a significação crítica desse ato, assim como a significação igualmente crítica de aprender. É que não existe ensinar sem aprender e com isto eu quero dizer mais do que diria … Continue lendo Carta de Paulo Freire aos Professores – Paulo Freire

Carta de Paulo Freire aos Professores – Paulo Freire

Ensinar, aprender: leitura do mundo, leitura da palavra. NENHUM TEMA mais adequado para constituir-se em objeto desta primeira carta a quem ousa ensinar do que a significação crítica desse ato, assim como a significação igualmente crítica de aprender. É que não existe ensinar sem aprender e com isto eu quero dizer mais do que diria … Continue lendo Carta de Paulo Freire aos Professores – Paulo Freire